Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bolseiros queixam-se da morosidade no desembolso dos montantes que lhes são devidos em Nampula

Os estudantes bolseiros de algumas instituições de ensino superior na cidade de Nampula, província com o mesmo nome, estão agastados com os gestores do Instituto de Bolsas de Moçambique (IBM) e da Direcção Provincial da Educação devido à demora no desembolso do dinheiro a que têm direito.

Os lesados disseram ao @Verdade que o problema arrasta-se desde o ano passado. Alguns alunos não recebem o dinheiro relativo à bolsa há cerca de três trimestres, facto que está a inquietar a camada estudantil que depende desses valores para satisfazer as despesas de alojamento.

Segundo os queixosos, grande número de estudantes vem dos distritos da província de Nampula e de fora desta. Os que viviam em casas arrendadas foram expulsos por falta de pagamento de mensalidades.

O gestor de bolsas em Nampula, de acordo com os nossos interlocutores, disse que ele é apenas intermediário do processo e a falta de transferência do dinheiro para as contas bancárias dos estudantes deve-se à desorganização do governo provincial.

Entretanto, a Direcção Provincial da Educação pediu aos beneficiários que apresentassem os extractos dos movimentos efectuados no ano passado nas contas pessoais.

Ibraimo Júnior, gestor do Gabinete de Bolsas de Estudos na Direcção Provincial da Educação em Nampula, desdramatizou o caso. Disse à nossa Reportagem que apenas seis estudantes ficaram um trimestre sem receber o dinheiro estimado em nove mil meticais cada. A demora deveu-se, em parte, à reorganização do sector que gere as transferências. Reconheceu, no entanto, que no ano passado uma bolseira não recebeu nenhum valor por falta do Número Único de Identificação Tributária (NUIT).

“Havia problemas no cadastro. Alguns nomes, números de contas bancárias e Número Único de Identificação Tributária estavam trocados. Por isso, alguns estudantes receberam valores acima dos que estavam estipulados e outros ficaram prejudicados. Mas está tudo resolvido e enviámos os processos ao Instituto de Bolsas de Moçambique”, explicou Ibraimo Júnior.

A província de Nampula tem actualmente 45 bolseiros e lançou-se recentemente um concurso para o provimento de 35 bolsas de estudo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!