Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Berlusconi enfrenta revolta por forçar votação contra primeiro-ministro italiano

Políticos importantes no movimento de centro-direita fizeram, esta Terça-feira (1), um apelo a deputados para que desafiem as ordens do bilionário magnata Silvio Berlusconi e dêem apoio ao primeiro-ministro Enrico Letta na votação de uma moção de confiança no seu governo, prevista para Quarta-feira.

O partido Povo da Liberdade (PDL)), de Berlusconi, dividiu-se depois de ele ter retirado da coligação de governo os ministros da legenda, no fim de semana, e pediu a realização de novas eleições, num momento de crescente tensão por causa da sua condenação na Justiça por fraude fiscal.

As divisões entre linhas-duras e moderados ampliaram drasticamente à medida que cresceu a oposição ao chamado de Berlusconi para a derrubada da coligação do governo de Letta, cinco meses depois de ter sido formada, depois das eleiçoes parlamentares de Fevereiro, que resultaram em impasse político.

A Itália, terceira maior economia da zona do euro, tem estado em meio à turbulência política na última semana, e mesmo que a coligação de Letta sobreviva à moção, não há nenhuma certeza de que o seu governo será forte o suficiente para promulgar reformas efectivas, capazes de combater a maior recessão do pós-guerra no país.

No entanto, o rompimento da unidade no partido de Berlusconi é um divisor de águas para um homem que tem sido o líder incontestável da centro-direita da Itália há duas décadas e abre um novo capítulo imprevisível na política italiana.

O secretário do partido e ministro do Interior, Angelino Alfano, e o ministro dos Transportes, Maurizio Lupi, que entregaram a sua renúncia no Sábado, cumprindo as ordens de Berlusconi, pediram que o partido apoie Letta na votação prevista para Quarta-feira no Senado.

“Eu continuo firmemente convencido de que o nosso partido inteiro deveria apoiar Letta num voto de confiança”, disse Alfano a repórteres. Letta recusou, esta Terça-feira, a saída de Alfano e Lupi e de três outros ministros do PDL, um sinal de que ele valoriza o seu apoio público.

Berlusconi parece ter confirmado uma divisão no partido ao decidir, depois de uma reunião com conselheiros, que pedirá aos deputados que retirem o apoio a Letta na Quarta-feira, segundo declarou o editor chefe do jornal do partido, Alessandro Sallusti, à TV estatal RAI.

Fontes no centro-esquerdista Partido Democrático, de Letta, disseram que ele ainda não decidiu se pedirá na quarta-feira um voto de confiança ao Parlamento.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!