Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Austrália poderá aumentar numero de bolsas para Moçambique

O governo da Austrália pode aumentar o número de bolsas de estudo para os cursos de pós-graduação e de pouca de duração, para os estudantes moçambicanos mercê dos avanços que o país está a registar nas várias frentes de desenvolvimento.

A intenção foi revelada por Neil Mules, enviado especial da Primeira Ministra da Austrália, Júlia Guillard, no termo da visita de três dias que efectuou ao país com dois objectivos fundamentais traduzidos no reforço dos laços de cooperação bilateral e a busca de informação sobre os mecanismos de reforço dessas mesmas relações. ‘O objectivo da minha visita era reforçar os laços de cooperação bilateral entre a Austrália e Moçambique, no quadro do compromisso que preconiza a diversificação e identificação de novos mecanismos de cooperação com a Comunidade de Países de Língua Portuguesa’, disse Mules, que deixa o país com destino a Angola.

O interesse do seu país em aumentar as bolas de estudo reside, por um lado, no interesse em contribuir mais para o desenvolvimento, através do apoio em áreas relevantes, e por outro lado no facto de os candidatos às bolsas de estudo naquele país mostraram uma preparação qualitativamente impressionante. Na área de informação, segundo Mules, o saldo da sua visita foi positivo na medida em que os governos dos dois países têm uma visão comum com vista a incrementar a cooperação bilateral na área política quanto na área económica e mesmo de desenvolvimento.

No capítulo da política, o enviado especial disse estar confiante que os dois países estão em perfeitas condições de cooperar ainda mais na arena internacional, e a vontade da Austrália é reforçar a cooperação em África, tanto na CPLP até mesmo nas Nações Unidas. Em relação ao domínio económico, que é também de interesse para os dois governos, o nível de investimento das empresas australianas no país está a atingir um ponto assinalável, embora, segundo Mules, difícil de quantificar porque cresce progressivamente, mas apontou por exemplo o facto de existirem no país agora 14 empresas de várias dimensões da área da mineração.

O outro assunto de relevo que Neil Mules discutiu os dirigentes moçambicanos, concretamente com o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Baloi, foi a cimeira da Commonwealth que terá lugar naquele país do Pacífico Sul e Moçambique é o único país da CPLP filiado àquela organização. O enviado especial manteve conversações com a Ministra dos Recursos Minerais, Esperança Bias, e o presidente do Conselho de Regulação do Abastecimento de Água (CRA) para se inteirar dos progressos no programa de água e saneamento para a Ilha de Moçambique orçado em 17 milhões de dólares americanos financiado pelo seu país. Na sua digressão pelo continente africano, Mules vai visitar os países africanos de língua portuguesa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!