Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ausência de nomes nos cadernos marcou eleição em Pemba

Na cidade de Pemba, um dos municípios que acolheram as eleições intercalares, as assembleia de voto abriram às sete, conforme o previsto, mas antes verificou-se que alguns quites que continham o material estavam incompletos, situação prontamente resolvida pelo STAE da cidade. Dos materiais que estavam em falta destaca-se os cadernos, almofadas e tinta.

Os eleitores chegaram um pouco antes aos 12 locais onde funcionaram as assembleias, mas à medida que a votação decorria muitos abandonaram os locais porque os seus nomes não constavam dos cadernos ou porque estes não apareciam nas réplica.

Quando quiseram saber dos membros das mesas de voto sobre o que estava a passar, estes apenas diziam que receberam os cadernos do Secretariado Técnico da Administração Eleitoras da Cidade (de Pemba), e que aqueles cujos nomes não constavam das listas não iriam votar, o que os deixou os indignados.

Outra situação que se verificou nas mesas de votação foi o facto de as listas terem sido coladas nas paredes, cabendo ao eleitor consultar o seu nome, o que acabou contribuindo para a morosidade do processo nalgumas mesas. Na mesa 0028, que funcionou na Escola Primária Completa de Cariacô, houve (mais de 20) eleitores que preferiram voltar sem votar porque não identificaram os seus nomes nas listas coladas nas paredes, e outros porque não sabiam ler. Mais: as listas não estavam organizadas em ordem alfabética, o que tornava mais difícil a consulta.

“Cheguei às 4, a minha mesa de voto é esta mas o meu nome não consta e ninguém está aqui para nos orientar. Há pessoas que não sabem ler. Nas eleições anteriores havia pessoas que estavam que orientavam os eleitores, não sabemos o que fazer. O que nos resta é voltar para casa”, disse uma eleitora que se encontrava na escola Secundária AMA2 para votar. Neste posto, a mesa mais problemática foi a nº 0015, onde até às 11 só tinham votado apenas 20 eleitores, embora na fila estivessem mais 50 pessoas.

Para além destes incidentes, que se verificaram nas primeiras horas, o processo foi manchado pelo baixo nível de participação dos eleitores, abaixo de 50%. Por exemplo, na mesa nº1136 da Escola Primária de Natite havia 1000 eleitores inscritos, dos quais apenas 53 foram votar. Até às 15, as mesas já estavam, aguardando apenas pela hora de encerramento.

Em todas as assembleias, a contagem e o apuramento terminaram antes da meia noite, sendo que, tendo em conta os resultados constantes dos editais afixados no exterior das assembleias, o candidato da Frelimo, Tagir Ássimo Carimo conseguiu suplantar os seus adversários, nomeadamente, Assamo Tique, do MDM, e Emiliano Moçambique, do Pahumo, ao ganhar as eleições com mais de 50 porcento dos votos válidos, o que lhe permite ocupar o cargo de edil de Pemba, deixado vago por Sadique Yaqub.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!