Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Atentado na capital do Burkina Fasso foi feito por três malianos da Al Qaeda

A Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) revelou nesta segunda-feira a identidade dos três jihadistas, de nacionalidade maliana, que atacaram na sexta-feira um hotel em Ouagadogou, capital do Burkina Faso, que matou 29 pessoas e deixou mais de 50 feridas.

Em comunicado enviado à agência privada de notícias mauritana “Al Akhbar”, que costuma receber as notas dos jihadistas activos no Sahel, a AQMI assinalou que os autores foram três malianos, identificados pelos nomes de “Abu Mohammed al Bughali al Ansari”, “Al Betar al Ansar” e “Ahmed al Vulani al Ansari”.

A AQMI publicou fotos desses três jihadistas, que invadiram o hotel Splendid, em Ouagadogou, combatentes do grupo Al Mourabitoun, dirigido pelo histórico jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar, que se fundiu à AQMI.

O hotel, situado no distrito financeiro frequentado por cidadãos ocidentais e por funcionários da ONU, foi tomado pelo comando, que detonou um carro-bomba na entrada e começou a disparar em hóspedes, clientes e funcionários antes de fazer mais de 120 deles como reféns.

A organização terrorista ressaltou neste último comunicado que o seu ataque faz parte das suas suas acções contra “os focos dos cruzados que saqueiam as nossas riquezas, agridem as nossas famílias e violam os nossos lugares sagrados”.

A Al Qaeda qualificou o hotel Splendid como “um dos ninhos mais perigosos de espionagem mundial na África Ocidental” e um lugar onde “se dirige a guerra contra o islão e onde se concluem transacções de saque dos recursos de África”.

O grupo terrorista acrescentou que os jihadistas atacaram primeiro o restaurante Capuccino antes de tomar reféns do hotel, que foi o seu “principal alvo” da operação, que durou várias horas. Além disso, ressaltou que o ataque foi “por vingança pelos nossos pais na África Central, no Mali e em outros países do islão, no leste e no oeste”.

Por último, a organização apontou que o atentado teve como objetivo lembrar “a França e aos seus aliados que a segurança no mundo hoje em dia é indissociável”: “ou nos deixam em paz na nossa terra ou poremos em perigo a sua segurança e a dos seus cidadãos”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!