Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ataque a um restaurante no Burkina Faso deixa pelo menos 18 mortos e 10 feridos

Pelo menos 18 pessoas morreram e uma dezena ficaram feridas num ataque perpetrado por dois homens armados a um restaurante da capital do Burkina Faso, Uagagudú, informou o Governo. Os atacantes abriram fogo por volta das 21.00 horas locais da passada noite no restaurante Istambul, situado na cêntrica avenida Kwameh Nkrumah da capital.

A operação das forças de segurança prolongou-se até à madrugada, quando a polícia abateu os atacantes. Até ao momento ainda não se conhece a nacionalidade das vítimas, mas acredita-se que haja várias nacionalidades entre os falecidos.

Em Ancara, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia já confirmou a presença de um turco entre as vítimas do ataque. As últimas informações do Governo actualizam o valor de mortos para 18, ao qual se acrescentam uma dezena de feridos que foram transferidos a diferentes hospitais para receber tratamento médico.

Entre os feridos encontram-se membros das forças de segurança que foram para a zona para deter os atacantes, segundo o porta-voz do Governo, Remeus Dandjinou.

O Governo abriu uma investigação para esclarecer o ocorrido, segundo assegurou em comunicado. O presidente do país, Roch Marc Christian Kaboré, condenou o ataque, transmitiu as suas condolências às famílias das vítimas e desejou a rápida recuperação dos feridos.

“O valente povo do Burkina Faso oporá uma resistência sem concessões ao terrorismo e aos inimigos do progresso da nossa pátria”, disse o presidente.

Em Janeiro de 2016, um comando do grupo jihadista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) entrincheirou-se durante horas no hotel Splendid, matando 26 pessoas de 18 nacionalidades distintas e retendo outras 156.

O Burkina Faso tem sido vítima de frequentes ataques por grupos jihadistas no último ano. Segundo a recontagem mais recente do Governo, 60 pessoas morreram no país africano devido a ataques terroristas nos últimos dois anos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!