Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Artista cria novo “Muro de Berlim” que divide ricos e pobres

A poucos passos de onde no passado o muro de Berlim dividia o leste comunista e o oeste da cidade, uma artista da Macedónia construiu uma nova barreira, desta vez para separar os ricos dos pobres.

O muro preto de pedras de Nada Prlja, chamado “Muro da Paz”, tem 12 metros de comprimento e 5 metros de altura e corta a avenida central Friedrichstrasse, ao sul de Checkpoint Charlie, um famoso ex-posto fronteiriço da Guerra Fria e hoje uma grande atracção turística.

“O novo muro enfatiza a diferença entre a Friedrichstrasse superior, caracterizada por lojas elegantes e apartamentos caros, e a parte pobre do sul da via que segue para o bairro multi-étnico de Kreuzberg”, disse Denhardt von Harling, porta-voz da Bienal de Arte de Berlim.

O Muro da Paz faz parte da Bienal, que este ano concentra-se na arte política, e vai ficar erguido por dois meses.

A instalação de arte destina-se a contestar o enobrecimento urbano em curso na área ao longo dos últimos anos e destacar a enorme disparidade de riqueza. A avenida de 3,3 quilómetros passa pelo coração do centro reconstruído da cidade de Berlim.

Um pouco além do local da antiga parede, prédios de escritórios de vidros reluzentes dão lugar a habitações sociais dos anos 1970, boutiques de luxo são substituídas por lojas de caridade e as multidões de turistas e funcionários de escritórios desaparecem.

A mudança repentina é estranha. “Um muro é um símbolo de divisão, e é em si capaz de destacar as lacunas invisíveis”, disse Prlja. “‘Quais são as principais causas de buracos na nossa sociedade?’ perguntei a mim mesma”, afirmou a artista, acrescentando que ela identificou segregação, pobreza e origens sociais.

O muro de Prlja causou reacções diversas. “Eu realmente não gosto disso”, disse Younes Alkhatib, um barbeiro do “lado pobre” da Friedrichstrasse. “Eu venho da Palestina e este muro lembra-me o que aconteceu em Israel. As divisões sempre espalham uma mensagem negativa … Destacar as divisões não ajuda a resolvê-las.”

Hawach Amim, outro palestino que trabalha no “lado pobre”, disse que o muro “faz pensar num funeral”. “Quando eu olho para ele penso no antigo Muro de Berlim. Levantar muros torna as pessoas inimigas.”

Prlja admite que a sua instalação pode atiçar medos ao fazer as pessoas encarar a realidade, mas ela disse que quer que eles olhem para o “Muro da Paz” e lutem pelos seus direitos. Há também elogios pelo seu trabalho.

“O muro é realmente uma boa ideia”, disse Frank Wille, gerente duma loja de caridade. “Isso realmente mostra o problema que temos experimentado na Friedrichstrasse por anos. A rua está visivelmente dividida. Esta arte temporal cumpriu a sua tarefa de ser ousada, provocadora e socialmente engajada.”

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!