Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Após escândalo de corrupção na fiscalização da carne do Brasil vários Países impõem restrições

A China, União Europeia, Chile e Coreia do Sul emitiram nesta segunda-feira comunicados em que citaram preocupações sobre a carne produzida no Brasil após as autoridade policiais revelarem um esquema de pagamento de subornos a fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura do País sul-americano para que os produtores pudessem vender produtos adulterados com produtos químicos e com prazos de validade ultrapassados. Moçambique importa frangos do Brasil, ainda não houve nenhum reacção das autoridades.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento disse que a China comunicou oficialmente que “não desembarcará as carnes importadas do Brasil” até receber informações satisfatórias sobre a situação. O comunicado acrescenta que, até agora, a China foi o único país que comunicou oficialmente restrições às importações de carnes brasileiras.

No entanto, a Coreia do Sul e o Chile também anunciaram embargos após a Operação policial denominada “Carne Fraca”, que desarticulou uma organização criminosa integrada por produtores e fiscais sanitários.

Entretanto a Comissão Europeia (CE) exigiu na segunda-feira que o Brasil suspenda aos Países que a integram as exportações de carne de empresas envolvidas na Operação “Carne Fraca”.

A CE também pediu a seus membros para que “fiquem atentos e aumentem os controles sobre a carne proveniente do Brasil, tanto em termos de documentação dos produtos como nos aspectos ‘físicos’ dos mesmos, o que é o procedimento padrão neste tipo de caso”, explicou o porta-voz.

A Operação “Carne Fraca” desarticulou um esquema de adulteração de carnes para poder vender produtos com prazo expirado ou cujo consumo não é recomendado. Os 33 fiscais sanitários presos pela Polícia Federal flexibilizavam as inspeções em troca de suborno cobrado de fábricas ligadas a grupos como o BRF e o JBS, dois dos maiores exportadores mundiais do produto.

O Presidente do Brasil, Michel Temer, minimizou problema e afirmando que a fraude envolve um grupo muito pequeno de frigoríficos. Além disso, Temer disse que o setor é muito importante no país para ser comprometido por uma “coisa menor”.

“Temos 4.850 frigoríficos no Brasil, apenas três foram alvo de intervenção e outros 18 são investigados”, disse o Presidente ao defender a qualidade da carne brasileira e o rigor da fiscalização sanitária no País.

O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e de frango, além de ocupar a quarta posição nos embarques de carne suína. As vendas para o exterior nos três sectores representaram 7,2% das receitas do segmento no ano passado, com 11,6 biliões de dólares norte-americanos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!