Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Andrea Pirlo despede-se do futebol ao fim de uma carreira de mais de 20 anos

O campeão do mundo Andrea Pirlo encerrou sua brilhante carreira no futebol nesta segunda-feira, despedindo-se com uma mensagem no Twitter horas depois de entrar em campo durante a vitória de 2 a 0 do New York City sobre o Columbus Crew na liga norte-americana.

No mês passado o jogador de 38 anos insinuou que se aposentaria no final da temporada, e deixa o desporto com dois títulos da Liga dos Campeões, seis da liga italiana e o título Mundial de 2006 que venceu com a Itália, além de vários outros títulos e honrarias acumuladas em mais de 20 anos.

“Não somente minha aventura em Nova York chega ao fim, mas também minha jornada como jogador de futebol”, escreveu Pirlo, convocado 116 vezes por sua selecção, na mensagem.

O meio-campista que estreou no Brescia, clube da sua cidade-natal, aos 16 anos e foi para a Inter de Milão em 1998. Ele teve dificuldade para conseguir uma vaga na equipa principal da Inter, na qual foi posicionado atrás dos atacantes, e assinou com o rival AC Milan em 2001 em meio a dúvidas sobre a sua eficiência.

Pirlo jogou à sombra de Rui Costa na sua primeira temporada no AC Milan, onde, como na Inter, actuou como ‘trequartista’, posição na qual sua falta de ritmo o atrapalhou.

Foi só sob o comando de Carlo Ancelotti, já na campanha seguinte, que ele começou a desabrochar – a decisão do técnico de posicioná-lo mais atrás, diante da defesa, permitiu que o talento de Pirlo começasse a aparecer.

O AC Milan conquistou a Liga dos Campeões e a Taça da Itália de 2003 com Pirlo dando as cartas, e o clube venceu o Campeonato Italiano no ano seguinte, quando ele cresceu na função que se tornou a sua marca registada.

Quando o seu desempenho no Milan começou a declinar ele recebeu uma oferta para jogar na Juventus. Ele renasceu no clube de Turim, liderando a Juventus ao primeiro dos quatro títulos consecutivos da Série A, antes de se mudar para os Estados Unidos em Julho de 2015.

“Gostaria de … agradecer à minha família … todas as equipes para as quais eu tive a honra de jogar, todos os companheiros de equipe, todas as pessoas que tornaram minha carreira tão incrível”, disse ele. “Vocês sempre estarão ao meu lado e no meu coração.”

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!