Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

American Cancer Society questiona serviço preventivo e defende mamografia antes dos 50

A American Cancer Society (ACS) recomendou na terça-feira a a realização de uma mamografia anual para as mulheres com menos de 50 anos para detectar o cancro de mama, em contradição com o US Preventive Service Task Force (USPSTF), o serviço de saúde preventiva americano, que questionou sua utilidade.

“A American Cancer Society continua aconselhando um exame clínico e uma mamografia anual para todas as mulheres a partir dos 40 anos”, diz um comunicado assinado por Otis Brawley, director médico da ACS, que se ocupa da prevenção, do tratamento e da pesquisa sobre o cancro. A utilidade da mamografia anual para detectar o cancro de mama nas mulheres com idades entre 40 e 49 anos havia sido questionada pelo USPSTF, que indicou, apenas, exames a cada dois anos, a partir dos 50 anos. “A American Cancer Society também vê limites na mamografia”, que pode levar a erros de diagnóstico, à realização de um tratamento inútil e à não detecção do próprio cancro.

“Mas, de qualquer forma, (…) as limitações não mudam o facto de que as mamografias a partir dos 40 anos salvam vidas”, acrescentou a ACS. A American Cancer Society destaca que 17% das mortes devido ao cancro de mama ocorrem em mulheres diagnosticadas com a doença entre os 40 e os 50 anos. O serviço de saúde preventiva (Preventive Services Task Force, USPSTF) estima, além disso, que “a decisão de realizar mamografia uma vez em cada dois anos, antes dos 50 anos, deveria ser uma decisão pessoal”. Foram examinados pelo USPSTF registros relativos a 600.830 mulheres de 40 anos ou mais que realizaram este tipo de exame entre 2000 e 2005, concluindo que não há senão uma “certeza moderada de que o benefício (das mamografias) seja maior do que os inconvenientes”.

O estudo cita falsos diagnósticos e biópsias desnecessárias. Numa pesquisa precedente, publicada no início do mês, o serviço de saúde preventiva destacava que entre 10% e 20% dos casos de mulheres diagnotiscadas com um cancro de mama, o tumor não havia sido detectado durante mamografia. O cancro de mama é a segunda causa de mortalidade de mulheres nos Estados Unidos. Em 2008, 182.460 mulheres foram diagnosticadas com um cancro invasivo e 67.770 com um tumor não-invasivo. Houve 40.480 mortes. Os riscos de uma mulher desenvolver um cancro de mama são estimados em 1 caso num total de 69, aos 40 anos; em 1 num total de 38 casos aos 50 anos e em 1 num total de 27, aos 60 anos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!