Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Alumínio da Mozal exportado para Holanda

Os lingotes de alumínio produzidos na região de Beluluane, província meridional de Maputo, pela fábrica Mozal, poderão ser exportados para a Holanda em satisfação do desejo deste país europeu interessado na diversificação da origem deste produto.

 

 

A ministra para o Comércio Externo e Cooperação para o Desenvolvimento do Reino Unido, Lilianne Ploumen, que revelou a informação em entrevista ao Correio da manhã, em Maputo, não indicou a quantidade a exportar nem a data do início da operação, sublinhando apenas que os contactos com a Mozal e com autoridades moçambicanas já se iniciaram e “estão bem encaminhados”.

A operação irá surgir numa altura em que há retracção da procura do alumínio no mercado internacional registada entre finais de 2012 e nos primeiros quatro meses de 2013 que para o caso concreto de Moçambique resultou na queda de receitas da companhia multinacional Mozal em cerca de 2,6%, entre os meses de Janeiro e Setembro do ano transacto.

A situação fez com que o chamado Grupo de Outros Mega Projectos, que inclui a Mozal, registasse queda nas receitas arrecadadas que passaram de USD 403,1 milhões, entre Janeiro e Setembro de 2012, para USD 392,4 milhões, no período em análise, segundo o Ministério das Finanças.

No global, a contribuição dos megaprojectos em receitas injectadas ao Estado atingiu o montante de 9.341,2 milhões de meticais, o correspondente a 10,6% da receita total cobrada e a um crescimento nominal de 152,5% relativamente a receitas do período compreendido entre Janeiro e Setembro de 2012. Importa, entretanto, lembrar que são accionistas da Mozal a multinacional BHP Billiton do Reino Unido, a Mitsubishi, Sociedade para o Desenvolvimento Industrial (IDC) e o Governo moçambicano.

A construção do empreendimento começou em 1998 e terminou 15 meses mais tarde, com seis meses de antecedência, e custou cerca de 1200 milhões de dólares, menos 100 milhões de dólares em relação ao orçamento previsto. A Mozal emprega 740 pessoas, 650 das quais moçambicanas, e tem capacidade de produzir 250 mil toneladas por ano de alumínio para exportação na sua totalidade.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!