Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

AIE adverte que queda do preço do petróleo não chegou ao fundo do poço

A Agência Internacional da Energia (AIE) fez um alerta nesta terça-feira contra as previsões optimistas que apontam para uma freada na queda dos preços do petróleo e assinalou que não percebe um aumento em curto prazo.

O seu relatório sobre o mercado do petróleo correspondente ao mês de fevereiro desmontou as principais presunções sobre o excesso de oferta global, que fez os preços desabarem em mais de 70% no último ano e meio.

A AIE ressaltou que a persistente especulação sobre um acordo entre a Organização de Países Exportadores (OPEP) e os principais produtores que não pertencem a esse cartel para reduzir a produção não é mais que uma conjectura.

O documento acrescenta que, apesar da crença de que a produção não vai crescer tão forte em 2016 como fez em 2015, o Iraque alcançou em Janeiro um novo recorde, há elementos que fazem pensar que as encomendas da Arábia Saudita aumentaram e o Irão pôs o pé no acelerador após a suspensão das sanções.

A AIE também se mostra céptica sobre a possibilidade de que a queda dos preços impulsione a demanda, e estima que o crescimento desta vai se desacelerar consideravelmente este ano, até 1,2 milhão de barris diários, sem que haja evidências que conduzam a uma revisão em alta.

O organismo reflecte que, embora a esperada queda da produção nos países que não pertencem à OPP poderia elevar os preços, a sua previsão reduz essa descida em 600.000 barris diários este ano.

A AIE alerta igualmente que o excedente de oferta sobre a demanda na primeira parte de 2016 é maior que o previsto em seu relatório mensal anterior. O organismo parte da suposição, “pode ser que optimista”, que, se a produção de petróleo da OPP se mantiver estável em 32,7 milhões de barris diários no primeiro trimestre, haveria um aumento das reservas de 2 milhões de barris diários.

“Se estes números se confirmarem, em um mercado já inundado de petróleo, é difícil pensar como os preços do petróleo poderiam aumentar significativamente em curto prazo”, concluiu a AIE, para a qual, nessas condições, de fato, o risco que diminuam ainda mais aumentou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!