Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Adulto acusado de violar criança de 10 anos de idade em Maputo

Um cidadão que responde pelo nome de Macamo, de 44 anos de idade, está detido nas celas do Comando da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Cidade de Maputo, acusado de estuprar uma criança de 10 anos de idade, na noite de domingo (27), no bairro de Hulene, na cidade de Maputo.

O visado, cujo nome completo omitimos por motivos óbvios, nega ter cometido o acto de que é indiciado e explicou a jornalistas que a petiza, faminta, se dirigido ao seu posto de trabalho, onde ele é guarda nocturno, numa escola de culinária que acaba de iniciar esta actividade, naquele bairro, para pedir comida. Contudo, ele alega que está a pagar por um crime que não cometeu, mas, sim, por ter ajudado uma criança…

A miúda foi supostamente violada por volta das 19h:00 de domingo mas só nesta segunda-feira (28) foi submetida aos exames médicos. Para além de não revelar em que unidade sanitária a petiza foi encaminhada, a Polícia não disse se na altura em que ela foi encaminhada ao hospital trazia ou não a roupa que usava no momento em que presumível estupro foi consumado, uma vez que é uma das peças fundamentais para os exames médicos.

Os resultados que atestam ter havido ou não cúpula forçada com a rapariga em causa também ainda não estavam disponíveis até à publicação deste texto. Orlando Modumane, porta-voz da PRM, remeteu os detalhes sobre como o alegado estupro aconteceu a Macamo. Este disse que a criança vinha do bairro da Costa do Sol para a zona da Liberdade, tendo se dirigido a ele a reclamar a de fome. Ele sentiu compaixão da menina e comprou-lhe bolachas e refresco.

A dado momento, a rapariga disse que só voltaria a casa no dia seguinte (segunda-feira) porque já era tarde e tinha medo de andar sozinha à noite. Em virtude disso, Macamo arranjou uma esteira para a miúda dormir, mas, de repente, ela começou a chorar alegando sentia medo uma vez que ouvia dizer que há gente que rouba crianças, principalmente à noite.

“As pessoas arrombaram a porta (do sítio onde Macamo estava com a menor) e agrediram-me fisicamente e contraí alguns ferimentos ligeiros. Reconheço que estava embriagado mas não a ponto de abusar sexualmente uma rapariga com idade da minha filha”, explicou-se Macamo.

Sobre este caso, Orlando Modumane disse que é mais uma prova de que a violação sexual é um mal que está a ganhar contornos preocupantes na capital moçambicana.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!