Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Acidentes de viação matam e Polícia detém condutores ilegal no país

Vinte e seis acidentes de viação deixaram 22 óbitos e 45 feridos, dos quais 19 em estado grave, na semana passada, em algumas estradas do território moçambicano. De 01 a 12 de Janeiro em curso, os carros já mataram pelo menos 46 pessoas e provocaram 154 feridos, entre graves e ligeiros.

Segundo a Polícia da República de Moçambique (PRM), os 22 óbitos foram registados entre 06 e 12 de Janeiro, enquanto os restantes 24 ocorreram na primeira semana do mesmo mês. Dos 26 sinistros rodoviários em questão, 12 foram do tipo atropelamento carro/peão, seis despistes e capotamento, cinco choques entre carros e motorizadas e três colisões de viaturas.

Inácio Dina, inspector e porta-voz do Comando-Geral da PRM, disse à imprensa, na terça-feira (16), que o excesso de velocidade, a má travessia de peões, o corte de prioridade e as deficiências mecânicas foram as principais causas na origem da desgraça.

Ainda de acordo com ele, quatro condutores foram detidos na cidade de Maputo e nas províncias de Cabo Delgado e do Niassa, por alegada tentativa de suborno à Polícia de Trânsito (PT). Os visados pagaram valores que variam de 500 a 5.000 meticais na expectativa de convencer a corporação a fazer vista grossa às irregularidades que acabavam de cometer, puníveis à luz do Código da Estrada vigente no país.

Para além desses supostos infractores, seis indivíduos encontram-se a contas com as autoridades policiais por terem sido surpreendidos o volante habilitações para o efeito. Dina disse, também, que de 06 a 12 de Janeiro foram fiscalizados 33.412 carros.

Destes, 3.157 automobilistas foram multados, 280 cartas e 51 livretes confiscados devido à indisciplina.

Em igual período do ano passado houve 14 sinistros rodoviários, os quais mataram 21 pessoas.

Numa outra operação, a PRM recuperou nove armas, das quais duas pistolas e igual número de AKM, e 22 munições nas províncias de Maputo, Gaza, Inhambane e Cabo Delgado.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!