Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Acidentes de viação deixam 25 óbitos nas estradas de Moçambique, dos quais 11 por atropelamento

Acidentes de viação deixam 25 óbitos nas estradas de Moçambique

Foto de Cidadão RepórterOs apelos ensurdecedores para a observância das regras de trânsito continuam a entrar por um ouvido e sair por outro. Por conseguinte, 25 pessoas faleceram e dezenas de outras ficaram grave e ligeiramente feridas em consequência de 33 acidentes de viação resultantes de atropelamentos, do excesso de velocidade, da condução sob o efeito de álcool e da má travessia de peões, na semana passada, em diferentes locais de território moçambicano.

No período em análise – de 27 de Agosto último a 02 de Setembrocorrente – só os atropelamentos, em número de 19, deixaram pelo menos 11 mortes, segundo Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), que falava à imprensa no habitual briefing semanal.

Os 33 acidentes de viação consistiram ainda emchoque entre carro e motorizada, quedas de passageiros, sete despistes e capotamento e quatro choques entre veículos. Ao todo, houve 80 feridos.

A persistência dos índices de sinistralidades rodoviária no país dá azo para que se pense que, pese embora os apelos para que os utentes da via pública observem, escrupulosamente, as regras de trânsito, alguns automobilistas e transeuntes fazem ouvidos de mercador.Por conta desta situação, várias famílias ficam enlutadas, de acordo com o agente da Lei e Ordem.

Além disso, há cada vez mais pessoas a contraírem lesões e algumas ficam deformadas pelo resto das suas vidas, o que, vezes sem conta, deixa os seus dependentes em situação de penúria, disse Inácio Dina. Há necessidade de “todos nós estarmos engajados e reflectirmos sobre a dor e a matança que os acidentes causam (…)”.

Ademais, a Polícia insta a sociedade a reflectir em torno dos acidentes de viação. Os condutores, em particular, devem assegurar que as suas viaturas estejam em boas condições mecânicas para se fazerem à estrada, porque com a sinistralidade o país perde homens que deviam contribuir no processo de desenvolvimento.

Neste contexto, a Polícia de Trânsito (PT) levou a cabo mais uma acção de fiscalização que incidiu sobre 41.453 viaturas, sendo que 4.602 condutores delas foram impostos multas por diversas irregularidades.

Na mesma operação, a Polícia deteve cinco condutores por se fazerem ao volante sem as licenças para o efeito, confiscou 72 carros, 81 livretes e 285 cartas de condução devido a diferentes infracções.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!