Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A Frelimo tomou sempre os jovens como vanguardistas: votar na Frelimo e Guebuza é um imperativo naci

O membro da Comissão Politica e chefe da brigada central do partido Frelimo para a província central de Manica, José Pacheco, apelou aos jovens moçambicanos a fixarem-se nos distritos porque é lá onde existe um forte potencial que lhes vai permitir libertar todas as suas iniciativas em prol do desenvolvimento. José Pacheco, que falava quarta-feira no distrito de Sussundenga, em mais uma jornada de “caça” ao voto para a Frelimo e seu candidato presidencial, Armando Emílio Guebuza, no pleito eleitoral de 28 de Outubro corrente, disse que, tal como os jovens do 25 de Setembro, heróis da luta da luta de libertação nacional, os jovens de hoje são chamados a assumir o seu papel como heróis da luta contra a pobreza.

“A grande prioridade da Frelimo, na sua jornada histórica, foi sempre a juventude”, disse acrescentando que, para se tornarem heróis da luta contra a pobreza, os jovens de hoje levam a vantagem de poderem contar com a experiência dos jovens do 25 de Setembro na sua qualidade de conselheiros, para se poder vencer esta grande guerra. Pacheco lembrou que, no âmbito do programa de desenvolvimento dos distritos, o Governo central, em reconhecimento das capacidade inovadoras dos moçambicanos, decidiu atribuir a cada um dos 128 distritos do pais o Fundo para o Desenvolvimento de Iniciativas Locais, vulgo “Sete Milhões de Meticais”, para libertar as iniciativas individuais e colectivas.

Com base no Fundo, no distrito de Sussundenga foram implementadas iniciativas que permitiram a criação de 1275 novos postos de trabalho, desde 2007, ano em que esta iniciativa foi lançada. Este instrumento tido como arma fundamental na luta contra a pobreza permitiu a implementação de varias iniciativas de desenvolvimento local, que garantiram a criação de mais oportunidades de emprego, aumento da produção para a auto-suficiência alimentar e para o aumento da renda familiar através da comercialização.

“Como podem notar, só com Guebuza é que venceremos a pobreza. É preciso votar no Guebuza, que é a cabeça, e a Frelimo o corpo para continuarmos a andar para frente. Votar na Frelimo e em Guebuza é votar por um desenvolvimento económico e social sustentável”, assegurou Pacheco. Segundo Pacheco, a Frelimo é o garante da continuidade do programa de educação das crianças moçambicanas, educação de adultos e da alfabetização porque tem a consciência de que só através da escolarização é que se forma um cidadão munido de conhecimentos científicos e tecnológicos indispensáveis para o desenvolvimento do pais.

Pacheco disse ainda que a Frelimo pretende continuar a garantir o acesso dos jovens as actividades económicas e sociais, dai que aposta em formar esta camada social para a área do professorado para poderem continuar a transmitir conhecimentos aos outros sobre como produzir comida e excedentes para comercializar. Pacheco explicou aos presentes que votar é um dever patriótico mas que era preciso votar no candidato e partido que já mostraram serviço, “por isso votar na Frelimo e Guebuza é um imperativo nacional”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!