Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

375 milhões de pessoas serão vítimas de catástrofes naturais em 2015

O número de pessoas vítimas de catástrofes naturais devido à mudança climática aumentará para 375 milhões em 2015, denunciou nesta quarta-feira em Siracusa (Sicília, sul da Itália) a Organização Não Governamental Oxfam International.

A entidade, especializada em ajuda ao desenvolvimento, solicitou aos ministros do Meio Ambiente do G8, reunidos na Sicília, que concedam aos países em desenvolvimento “pelo menos 50 bilhões de dólares (38,4 bilhões de euros)” para reduzir a mudança climática e o efeito estufa.

A Oxfam calcula que o número de pessoas afetadas pelas calamidades naturais vá aumentar em 50%, com relação aos atuais 250 milhões, e somará 375 milhões em seis anos. Os dados se baseiam na análise de 6.500 catástrofes climáticas registradas desde 1980.

Para o porta-voz da Oxfam International, Farida Bena, a meta de reduzir em 50% as emissões de dióxido de carbono antes de 2050, estabelecida durante a cúpula do G8 no Japão, em 2008, “é insuficiente”. Cada vez que se aplicam reduções inferiores às necessárias “isso representa um risco para as populações mais pobres e aumenta os riscos de tragédias naturais”, assegurou Bena.

Os ministros do Meio Ambiente dos países do G8, responsáveis por 40% das emissões de gases de efeito estufa, e de grandes Estados emergentes, como Brasil e México, iniciaram nesta quarta-feira na Sicília uma reunião de três dias sobre o aquecimento climático com o objetivo de chegar a um acordo internacional para frear o fenômeno.

Da reunião participam os ministros de Estados Unidos, Rússia, Alemanha, Japão, França, Canadá, Grã-Bretanha, Itália, Brasil, China, Índia, México, África do Sul, Austrália, Coreia do Sul, Egito e Indonésia.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!