Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

11º Dia do Recenseamento Eleitoral – MINUTO A MINUTO

Os cidadãos que se deslocam aos vários postos de recenseamentos, na cidade de Maputo, reclamam da morosidade no processo de inscrição, devido à falta de habilidades dos brigadistas no manuseamento do equipamento em uso.

No posto de recenseamento da EPC da Polana Caniço “B”, no município de Maputo, os cidadãos disseram que os brigadistas “são lentos” na recolha de dados. “Estou aqui há 30 minutos e parece que a fila não anda”, afirmou Zeca Mhula, um dos cidadãos que pretendiam efectuar o recenseamento.

Cenário idêntico verificava-se no posto de recenseamento localizado na Direcção de Educação do Distrito KaMavota. Neste local, até as 9h desta segunda-feira (03) já havia uma fila de cerca de três dezenas de cidadãos que pretendiam recensear-se. “Há uma semana que tento exercer o meu direito de cidadão recenseando-me mas sem sucesso”, afirmou um Emílio, que se encontrava no posto de recenseamento da Escola Primária Unidade 30. “Quando lá chego, dizem que as máquinas não funcionam”, acrescentou.

Por sua vez, o posto de recenseamento de Minguene, bairro Ferroviário, aquando da nossa visita, não estava a funcionar devido à falta de corrente eléctrica para o funcionamento do computador. Segundo o supervisor do posto, os cortes de energia, naquela zona, são “muito frequentes” o que obriga aos cidadãos a aguardar horas a fio à espera que se restabeleça a corrente eléctrica para poderem tre o cartão de eleitor.

O cidadão Manuel Chavana disse-nos que hoje é o terceiro dia que se desloca àquele posto mas não consegue inscrever-se. “Sempre não há corrente”, desabafa. De acordo com o supervisor, o posto recebe uma média de 70 eleitores.

Nampula

Na cidade de Nampula, o processo continua a funcionar a meio gás apesar de as impressoras antigas terem sido substituídas. Numa ronda feita pelos repórteres do @Verdade em Nampula foi possível confirmar este facto, pois alguns postos estavam com as portas fechadas.

Por exemplo, no posto de recenseamento instalado na Escola Secundária de Teacane a impressora está avariada desde o segundo dia do recenseamento. Os cidadãos apenas recensearam no primeiro dia em que arrancou o processo, daí nunca mais. No posto da Escola de Mpuecha voltou a funcionar esta segunda-feira (03) depois de oito dias de interrupção devido a deficiências técnicas registadas na impressão dos cartões.

Além disso, os cidadãos queixam-se da morosidade no processo, o que resulta em longas filas. Na escola 7 de Setembro, a impressora está com problemas técnicos. Sempre que se faz uma nova impressão a máquina desliga-se. Ainda não foi solicitado um profissional para a reparação do problema.

O mesmo está a acontecer no posto instalado na EPC de Mutauanha, onde depois de oito dias de paralisação, os brigadistas começaram a trabalhar esta segunda-feira e, claro, não podia faltar a morosidade no atendimento. Na Casa Provincial de Cultura existe um posto de recenseamento que, também, não está a funcionar devido à avaria da nova impressora recentemente adquirida pelo STAE. Os técnicos ainda não se fizeram presente para efeitos de reparação.

Volvidos cinco dias de interrupção, o posto da escola da APEA está a funcionar, embora com a persistência do problema relacionado com a morosidade. Na Escola Secundária de Nampaco, o posto de recenseamento não está a funcionar devido à falta de tinta. A impressora ainda não foi substituída. Os cidadãos estão ansiosos para poder recensear-se e não encontram saída.

No posto instalado na zona da Rex não funciona desde o primeiro dia. Os bigadistas estão literalmente de braços cruzados. Nas escolas da Barragem e Namicopo ainda não foram substituídas as impressoras. Desde o primeiro dia apenas 150 pessoas foram recenseadas, 59 na escola da barragem e 99 na escola são Francisco.

O posto localizado na zona da cavalaria e na EPC de Napipine as impressoras já foram trocadas. O recenseamento está a decorrer, embora com alguma morosidade. O mesmo está a acontecer na escola primária Parque Popular.

SE O LEITOR FOR RECENSEAR-SE CONTE-NOS:

– foi fácil?

– a equipa foi simpática?

– havia fila longa?

– tiveste algum outro problema?

Reporta-nos por SMS para os números 90440/ 821111, Whatsapp 843998634, BBM pin 2A8BBEFA ou Email averdademz@gmail.com.

{jumi [*6]}

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!