Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

ADVERTISEMENT

Mozal mantém produção recorde, aumenta receitas mas paga menos dividendos a Moçambique

Mozal mantém produção recorde

Os dividendos da fundição Mozal para o Estado moçambicano em 2018 caíram 50,3 por cento, num ano em que manteve a sua produção recorde, os preços do alumínio aumentaram e as suas receitas em Dólares norte-americanos cresceram.

A Conta Geral do Estado de 2018 revela que a Mozal, onde o Estado moçambicano é accionista preferencial com 3,9 por cento, gerou dividendos de 181,9 milhões de Meticais (pouco mais de 3 milhões de Dólares), cerca de metade do que pagou em 2017.

Questionada pelo @Verdade sobre os motivos que ditaram redução de dividendos para Moçambique a empresa começou por esclarecer que “os dividendos sobre os lucros são pagos em proporção às acções que o Estado tem na Mozal”.

“A variação no montante dos dividendos pagos ao Estado estão directamente relacionados com a rentabilidade da empresa que no ano em questão o que é influenciado pelo preço do alumínio e de outras mercadorias no mercado internacional”, explicou a Mozal ao @Verdade.

Contudo, e embora a Mozal não publique as suas Demonstrações Financeiras auditadas em Moçambique, o @Verdade apurou no Relatório e Contas do principal accionista, a South32, uma mineradora australiana, que em 2018 a empresa produziu 271 mil toneladas de alumínio, “produzindo na sua capacidade máxima”.

A South32 reporta aos seus accionistas que graças a essa produção conjugada com o aumento do preço do alumínio em 20 por cento as receitas da Mozal cresceram para 629 milhões de Dólares norte-americanos o que resultou num aumento em 30 por cento dos lucros.

Paradoxalmente durante o ano de 2017 a Mozal obteve receitas de menores, de 521 milhões de Dólares norte-americanos, no entanto pagou 366,3 milhões de Meticais em dividendos ao Estado moçambicano.

Primeiro megaprojecto a instalar-se em Moçambique em 1998 a Mozal quase não gera mais receitas para Estado além dos dividendos pois tem isenções de Imposto sobre o Valor Acrescentado, Contribuição Industrial, Contribuição Predial urbana, imposto sobre a sua produção(Royalties), e também não paga os 32 por cento do Imposto sobre Rendimento das Pessoas Colectivas. Actualmente emprega pouco mais de 100 pessoas.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!