Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

África do Sul e México empatam 1 a 1 na estreia do Mundial

África do Sul e México empatam 1 a 1 na estreia do Mundial

Com a esperanças do país nas costas a seleção da Àfrica do Sul estreiou-se no Mundial que organiza com um empate, que sabe a derrota. A primeira parte foi dominada pelo México e só na etapa complementar os rapazes de Parreira sacudiram a pressão com um golaço de Siphiwe Tshabalala, digno de entrar para a história como o primeiro do Mundial. Mas a experiência dos mexicanos acabou triunfando com o veterano Rafael Márquez a empatar o jogo.

Ainda os vuvuzelas festajavam a abertura do Mundial e os os mexicanos já assustavam os Bafana Bafana, Giovani dos Santos ganha uma bola defendia pelo guarda-redes Khune e só não consegue marcar pela pressão do defesa que recuperou a tempo. Os anfitriões sentiam-se duplamente pressionados pela ânsia dos adeptos, no campo e pelo país, e pelo esquema ofensivo de Javier Aguirre.

O México trocava a bola e criava lances de perigo, principalmente pelo lado direito. A passagem da meia hora o lance mais bonito da primeira parte, Franco recebeu um belo lançamento de Vela dominou com o peito e rematou no meio da área e para mais uma defesa de Khune. O bom momento dos astecas culmina com um golo de Vela, bem anulado pelo àrbitro. Perto do término da primeira parte, e empurrada pelos vuvuzelas, a seleção sul africana cresceu e pressionou, aos 42 Mphela chega atrasado para completar de cabeça, sozinho, na pequena área. Com o nulo chegou o intervalo.

Na segunda parte Parreira troca Thwala por Masisela e a equipa anfitriã melhora o seu jogo. Aos 55 minutos, após um roubo de bola no meio campo, os Bafanas trocam passes rápidos e Mphela coloca a bola rasteira em Tshabalala, que entra pelas costas da defesa e com o pé esquerdo remate forte e colocado, para o ângulo da baliza de Perez. Loucura nas bancadas, vuvuzelas a todo vapor, público de pé a canatar “Shosholoza”.

O México não era o mesmo da primeira parte apenas Giovani dava ar da sua técnica, numa jogada pela direita e remata forte para defesa para fotografia de Khune. Era o melhor momento dos donos da casa que perderam várias oportunidades de aumentar o placar.

Aguirre mexe na equipa e refresca o ataque e a sua equipa melhora, mas acaba por ser um defesa a salvar a honra, e acalmar os ânimos dos muitos adeptos mexicanos que vieram à Àfrica do Sul. Aos 79 minutos Guardado cruzou da esquerda, e a bola passou por todo mundo até chegar aos pés de Rafa Márquez, o defesa do Barcelona, dominou no bico da pequena área e rematou com o pé direito uma bomba indefensável, calando o Soccer City.

Os sul africanos tentaram responder, Parreira mandava os seus rapazes para subirem no relvado, e quase que Mphela consegue marcar, mas a bola vai para o poste. Terminou com uma igualdade o primeiro jogo de uma Copa do Mundo histórica.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!